Doceria Pingo Doce de Tatuí Ltda -ME - História

 A história da empresa “Pingo Doce” começou em 1967, pelas mãos de Antonio Rocha Lima Filho, conhecido por "Seu Toninho Tai".

Sempre com tino comercial e espírito empreendedor, decidiu criar em Tatuí uma fábrica de doces caseiros, aproveitando-se de sua experiência anterior como proprietário da Sorveteria Taí, onde todos os sabores eram uma criação da família, com um toque especial de Dona Eulália, esposa do “Seu Toninho”.

Com o objetivo de tornar Tatuí uma referência na produção de doces caseiros tipicamente brasileiros, nascia, em 25 de setembro 1967, as empresas “Doces Taí”, à Rua Martiniano de Azevedo, 110, no bairro “Quatrocentos”.

A produção foi focada nos doces “ABC” (variedade de doces de Abóbora, Batata e Cidra), um doce tradicional da cidade, e no bom-bocado.

As vendas iniciaram-se em cidades como Santos e São Paulo, com vendas diretas, de porta em porta, feitas por Antonio Rocha Lima Neto, o “Neto”.

No ano de 1968, tornam-se sócios da empresa os filhos de “Seu Toninho”, Edilberto Rocha Lima e Antonio Rocha Lima Neto, momento em que se criou a marca “Pingo Doce”. A marca foi inspirada num dos doces que viria a ser uma das referências e tradições da empresa, o “pingo de leite”, uma receita da família que foi aprimorada até poder ser feita comercialmente.

Com o objetivo de ganhar escala, a produção foi focada nos doces “ABC” e destinada exclusivamente para o atacado (supermercados como o Eldorado, cooperativa da Rhodia, Bazar Treze, Jumbo Eletro além de postos de estradas, cidades turísticas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná).

Em 1970, em função do sucesso dos doces “ABC” e da criação de demanda pelos produtos “Pingo Doce”, a linha de produtos foi ampliada, incorporando-se o “pingo de leite”, cocadas e paçoca de amendoim.

A esta altura, vizinhos do bairro, pessoas da cidade e clientes de outras localidades em trânsito eram atraídos a Tatuí para comprar diretamente da fábrica.

Em 1976, em função a alta demanda a ser atendida na região de São Paulo, Neto e sua família mudou-se para Osasco, dando suporte às operações de distribuição na grande São Paulo.

Em 1978, a vocação da empresa foi colocada à prova. Com a produção crescente, atendendo a mercados distantes, tornou-se importante o fato de que os produtos “Pingo Doce” mantinham sua característica de doce caseiro, sem conservantes. Cresciam as devoluções em função do prazo de validade típico de produtos sem conservantes químicos ser menor, o que determinou o reposicionamento da empresa no mercado.

É neste cenário que, em 1979, a empresa é comprada por Antonio Rocha Lima Neto e sua esposa Maria Jose Confortini Rocha Lima.

Em 1980, inicia-se a construção das novas instalações do “Pingo Doce”, com o objetivo de fortalecer a vocação da empresa que era a de fabricar doces caseiros, sem conservantes e fortalecer a imagem da cidade e da tradição dos doces caseiros de Tatuí.

Em 1981, eram inauguradas as novas instalações da empresa junto a rodovia SP-127 KM 113, iniciando-se a atividade de vendas diretas ao varejo através de uma loja da fábrica.

Novos produtos foram lançados: o retorno do bom-bocado, doces em compota, goiabadas.

A tradição da marca “Pingo Doce”, aliada à posição estratégica na rodovia SP-127, garantiram a manutenção dos clientes de fora da cidade e privilegiaram os clientes de Tatuí com a nova loja.